Inicial

Aprovação do piso salarial do Assistente Social – R$ 3.720,00

28 Comentários

Recentemente, nós, assistentes sociais, através de pressão e organização da categoria, conseguimos imprimir uma grande vitória do trabalho sob o capital: A redução da carga horária para 30 horas.

Sabemos que não seria fácil! A partir dessa conquista, passamos então a lutar pela efetivação da mesma – onde muitos empregadores ainda não cumprem a lei das 30 horas.

Porém, de que adianta termos uma jornada de trabalho reduzida, garantida em lei, se não temos um piso nacional aprovado? Na prática, o que acompanhamos foi uma redução drástica do salário do Assistente Social, obrigando-o, muitas vezes, a flexibilizar sua regulação laborial para ganhar um pouquinho mais.

Assim,, mais uma luta da categoria está exposta na sociedade: A busca pela aprovação do piso salarial. Está em tramite um abaixo assinado pelo Avaaz.org…. Vocês já assinaram?

Mãos a obra companheirada.
Link do abaixo assinado: http://www.avaaz.org/po/petition/Fixa_o_piso_salarial_do_Assistente_Social_em_R_372000_para_uma_jornada_de_trabalh/?fojxteb&pv=11

Anúncios

Renascer das cinzas

1 Comentário

Nos colocarmos em movimento é a primeira condição para quem deseja sair do lugar.

Os espaços de discussões devem ser dialéticos e não verticais. E para tanto, o Trabajo Social Brasil se propõe para além da transferência do conhecimento.

O que voce acharia de, além de ler e participar do debate, ter a possibilidade de contribuir efetivamente com a publicação de pequenos textos e artigos?

O canal está aberto e a proposta é de criação da SEMANA DO LEITOR, onde selecionaremos artigos e pequenos textos que vocês nos enviarem. É claro que ainda precisamos constituir uma comissão editorial (rsrsrsrs), mas a ideia está lançada!

O que acham?

Gostariam de ter suas ideias e textos publicados por aqui?

Tem interesse?
Escreva-me no trabajosocialbrasil@gmail.com

E vamos a luta! Disputando ideias, construindo hegemonia e transformando o mundo!

PL SUAS será sancionado por Dilma

1 Comentário

Uma boa notícia para a Assistência Social.

 

 

Após 3 anos de tramitação no Congresso Nacional, projeto de lei que institui Sistema Único de Assistência Social (Suas) será sancionado pela Presidência da República e garantirá direito a serviços socioassistenciais e proteção de famílias e indivíduos em situação de risco e vulnerabilidade. Quase todos os municípios brasileiros já aderiram ao sistema

Sebastião Pedra/MDS

Suas garante direito à assistência social e proteção de famílias e pessoas em risco e vulnerabilidade social

Braslia, 5 – A presidenta da República Dilma Rousseff sancionará o Projeto de Lei da Câmara nº 189, de 2010, conhecido como PL Suas, nesta quarta-feira (6), às 11h, no Salão Nobre do Palácio do Planalto, em Brasília. O documento legal dispõe sobre a organização da assistência social e institui legalmente o Sistema Único de Assistência Social (Suas).

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello, e o presidente do Conselho Nacional da Assistência Social (CNAS), Carlos Ferrari, participarão da cerimônia.

O Suas foi criado em 15 de julho de 2005, por meio de resolução do CNAS. A coordenação nacional do sistema é do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à fome (MDS), mas a gestão dos serviços é feita, de forma descentralizada, por municípios, Estados e Distrito Federal. A fiscalização é de responsabilidade dos conselhos de assistência social, integrados por representantes dos governos e sociedade civil.

Inspirado no modelo do Sistema Único de Saúde (SUS), com atendimento e organização dos serviços em bases regionais (abrangências municipal, estadual ou regional), o Suas garante o direito à assistência social e proteção das famílias e indivíduos em situação de risco e vulnerabilidade social. Com a sanção da Presidência da República, o Suas, que tem a adesão de 99,5% dos municípios brasileiros, passa a vigorar como lei.

Tramitação – O PL Suas, de autoria do Executivo, entrou na Câmara Federal como Projeto de Lei nº 3.077, em 2008, e, após passar por várias comissões técnicas, recebeu o nome de PLC 189, em 2010. Após três anos de tramitação no Congresso Nacional, foi aprovado pelo Senado em 8 de junho de 2011.

Serviço
Cerimônia de sanção do PL Suas
Data:
quarta-feira, 6 de julho de 2011
Hora: 11h
Local: Palácio do Planalto, Salão Nobre, Brasília, DF

Informações para a imprensa
Cristiane Hidaka/Ana Soares
(61) 3433-1065
Ascom/MDS
www.mds.gov.br/saladeimprensa

Dia mundial do Serviço Social

Deixe um comentário

Serviço Social, Trabajo Social e Social Work.

Definições, concepções e intervenções diferenciadas. Projetos ético-políticos conflitantes. Disputas de idéias e contraposição de projetos: Uma profissão!!

Minto, uma bela profissão.

Bastante avançada na América Latina, em plena maturidade… Difusora de perspectivas teóricas e prático-interventivas de ruptura conservadora: Referência para o mundo!

Parabéns aos Assistentes Sociais, Trabajadores Sociales & Social Workers

Abaixo segue um post no site do CFESS.

 

Assistentes sociais comemoram o Dia Mundial do Serviço Social

Tema de 2011 é “Vozes do Serviço Social se unem para responder à crise global”!


Material comemorativo ao dia Mundial do Serviço Social, nas versões espanhol e inglês (Fonte: FITS)

A terceira terça-feira de março de assistentes sociais de todo o planeta é data para comemorar e marcar posicionamento. Isto porque a Federação Nacional de Trabalhadores Sociais (FITS) instituiu a data como o Dia Mundial de Serviço Social.

Portanto, neste 15 de março, “as vozes do Serviço Social mundial” se unem para responder à crise global e construir uma agenda unificada da profissão, como diz o próprio tema da campanha deste ano lançada pela federação.

Em sua página oficial, a FITS elogiou o trabalho dos/as assistentes sociais, afirmando que os/as profissionais “estão qualificados/as para a análise das estruturas das condições sociais e buscam alterá-las para promover uma vida mais digna para todos os povos, em todas as comunidades”.

O presidente da Federação , Gary Bailey, em vídeo gravado para o dia Mundial do Serviço Social, fez críticas ao modelo de desenvolvimento mundial. “Bilhões foram gastos para salvar os bancos em todo o mundo. É injusto e escandaloso que o preço por essa ajuda deve ser pago pelas pessoas mais pobres e vulneráveis do mundo. Por exemplo, enquanto bilhões foram gastos para estabilizar os bancos, o orçamento total para o Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas foi reduzido pela metade”, disse.

Para a representante da América Latina e Caribe na FITS, Laura Accoto, é um desafio grande para a profissão a defesa dos direitos sociais e humanos num contexto de avanço do neoliberalismo. “É hora de renovar nosso compromisso com os direitos humanos, especialmente com os direitos sociais, econômicos e culturais do povo latino-americano e caribenho. Em 2010, América Latina e Caribe foram fortemente prejudicados por desastres naturais, agravando a pobreza e a desigualdade das pessoas mais vulneráveis na nossa sociedade. Só uma profissão articulada e comprometida com o desenvolvimento econômico social fará diferença. Constituirmo-nos em ferramentas e veículos de equidade e justiça social para crescer e mudar nossa região”, afirmou Accoto.

Segundo a presidente do CFESS e integrante do comitê da FITS, Ivanete Boschetti, a data deve ser lembrada e divulgada, pois é uma forma de mobilizar profissionais dos mais distantes pontos do planeta e socializar posicionamentos. “O dia do/a assistente social no mundo é mais que uma simples comemoração corporativa. É uma possibilidade de dizer que projeto temos para a profissão e para a sociedade. Por isso, nós do Brasil, reafirmamos mundialmente nosso Projeto ético-político profissional, comprometido com os direitos da classe trabalhadora, com a universalização dos direitos e das políticas sociais, com a denúncia e a recusa a todas as formas de barbárie e discriminação e com a defesa de uma sociedade não mercantil”, defendeu Ivanete.

Atualmente, a FITS conta com 800 mil assistentes sociais registrados/as de 92 organizações inscritas. Na América Latina, são 10 organizações integrantes (incluindo o CFESS) e cerca de 180 mil profissionais.

Definição do conceito da profissão em nível internacional
Em junho de 2010, o CFESS esteve em Hong Kong para a 20ª Conferência Mundial de Serviço Social. No evento, o Conselho Federal apresentou uma proposta para a definição da profissão sintonizada com o Projeto ético-político profissional brasileiro, por avaliar que a atual definição da FITS está distante dos fundamentos teóricos, éticos e metodológicos que orientam o Serviço Social brasileiro. “Defendemos um Serviço Social comprometido com a construção de uma nova sociabilidade e não uma profissão que tenha por objetivo a integração social no capitalismo”, afirmou Ivanete. “A nossa perspectiva de direitos humanos não se confunde com a perspectiva burguesa e reivindica a igualdade de condições e a emancipação humana, o que implica romper com a desigualdade e lutar pela socialização da riqueza. A luta por direitos é uma mediação para a construção de uma nova sociedade, e não um fim em si mesmo”, conclui a presidente do CFESS.

Entretanto, os/as participantes decidiram se debruçar mais sobre a questão, adiando a decisão para a próxima Conferência, em 2012, na Suécia. Enquanto isso, workshops serão realizados para debater o tema. Um deles acontecerá no Brasil, no segundo semestre de 2011.

Assista ao vídeo com a mensagem do presidente da FITS, Gary Bailey (em inglês)

Assista ao vídeo com a mensagem da representante da América Latina e Caribe na FITS, Laura Acotto (em espanhol)

Saiba mais informações sobre a representação da América Latina na FITS (em espanhol)

Visite o site da FITS (em inglês)

Leia o manifesto do CFESS com a proposta de conceito mundial para o Serviço Social

Relembre a participação do CFESS na 20ª Conferência Mundial

Conselho Federal de Serviço Social – CFESS
Gestão Atitude Crítica para Avançar na Luta – 2008/2011
Comissão de Comunicação

Rafael Werkema – JP/MG – 11732
Assessor de Comunicação
comunicacao@cfess.org.br

Letra E – Dicionário de termos técnicos de Assistência Social

1 Comentário

Efetividade: Estabelece o impacto da ação na população-alvo. A efetividade objetiva é o critério de aferição da mudança quantitativa entre o antes e o depois da execução do programa. O critério de avaliação da efetividade subjetiva se refere às mudanças comportamentais nas crenças e valores da população alvo. A efetividade substantiva é o critério da avaliação das mudanças qualitativas significativas e duradouras nas condições sociais de vida dos beneficiários da política ou programa social. Examina em que medida os resultados de um projeto foram incorporados à realidade do público alvo. (BELO HORIZONTE. Secretaria, 2005)

Eficácia: Analisa até que ponto estão sendo alcançados os resultados previstos e se esses são pertinentes. As avaliações de eficácia não significam apenas aferir o alcance das metas propostas por uma política ou programa. A eficácia relaciona as metas propostas para o programa e as metas alcançadas.

Eficiência: “A eficiência de uma política ou de um programa estabelece a correlação entre os efeitos dos programas (benefícios) e os esforços (custos) empreendidos para obtê-los. Traz como referência o montante dos recursos envolvidos, buscando aferir a otimização ou o desperdício dos insumos utilizados na obtenção dos resultados. A avaliação da eficiência relaciona
custos e recursos empregados em uma política ou programa, assim como os resultados alcançados”.

E-mail: O e-mail é um meio de comunicação baseado no envio e recepção de textos, chamados de mensagens, através de uma rede de computadores. Cada usuário de e-mail possui um endereço eletrônico para se corresponder. (GLOSSÁRIO INTERNET, 2005)

Empoderamento (Empowerment): Processo através do qual, indivíduos, comunidades e organizações obtêm controle sobre decisões e ações relacionadas a políticas públicas, através de mobilização e expressão de suas necessidades. Portanto, é espaço para expressão de interesses e visões diferentes e de negociações e construção de consensos, assim como o fortalecimento do protagonismo dos setores excluídos. (ARMANI, 2000)

Empregado Assalariado: Pessoa que trabalha (com ou sem carteira) para um empregador (pessoa física ou jurídica), geralmente obrigando-se ao cumprimento de uma jornada de trabalho e recebendo, em contrapartida, uma remuneração em dinheiro, mercadorias ou produtos. (BRASIL. P, s.d.)

Encaminhamento: É um procedimento de articulação da necessidade do usuário com a oferta de serviços do município realizado pelos técnicos do SUAS. Deve ser sempre formal, seja para a rede socioassistencial, seja para outras políticas. Quando necessário, deve ser precedido de contato com o serviço de destino para contribuir com a efetivação do encaminhamento e
sucedido de contato para o retorno da informação.

Endereço Internet: Para acesso às páginas de um site WWW
utilize protocolo://www.dominio Exemplo: http://www.terra.com.br.

No exemplo acima, a classificação da organização é: com (comercial), edu (educacional), gov (governo), mil (órgão militar), org (outra organização) e net (gateway ou host). O identificador de país utiliza geralmente duas letras: br (brasil), au (austrália), exceto para os Estados Unidos que não utiliza (GLOSSÁRIO INTERNET, 2005)

Entidade de Assistência Social: São consideradas entidades e organizações de assistência social aquelas que prestam atendimento e assessoramento aos beneficiários, sem fins lucrativos, bem como as que atuam na defesa e garantia de seus direitos (BRASIL. LOAS, 2003). Segundo o documento que propõe a regulamentação do Artigo 3º da LOAS, são as organizações de interesse público, voltadas a promoção, atendimento e defesa de direitos, e que atuam na esfera pública, devendo estar comprometidas como conceito democrático de fim público. Dividem-se em específicas e não-específicas de assistência social. Entidades e organizações específicas de assistência Social: são aquelas constituídas sem fins lucrativos e que realizam, de forma continuada, serviços, programas e projetos de proteção social e de defesa de direitos socioassistenciais, conforme
preconizado na LOAS, no PNAS e na NOB/SUAS, dirigidos a cidadãos e famílias em situação de vulnerabilidade e risco social e pessoal. Entidades e organizações não específicas de assistência Social: são aquelas que atuam, prioritariamente, em outras áreas sociais das políticas públicas, como educação, saúde, cultura,esportes, entre outras, mas que mantêm, de forma continuada, algum serviço ou ação de assistência social, dirigido ao usuário
da assistência social. (BRASIL. MDS, 2006)

Entrevista Técnica: utilizada pelos profissionais do SUAS junto aos usuários para levantamento e registro de informações como: vulnerabilidades e demandas, contexto familiar e comunitário. Visa compor a história de vida, orientar o diagnóstico e definir os procedimentos metodológicos a serem adotados.

Eqüidade: Reconhecimento e efetivação, com igualdade, dos direitos da população, sem restringir o acesso a eles e nem estigmatizar as diferenças que conformam os diversos segmentos que a compõem. Assim, eqüidade é entendida como possibilidade das diferenças a serem manifestadas e respeitadas, sem discriminação, condição que favorece o combate das práticas de subordinação ou de preconceito em relação às diferenças de gênero, políticas, etnias, religião, cultura etc. (SPOSATI, 1991)

Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA: Lei Federal nº. 8069 de 13 de julho de 1990 que dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente (BRASIL, 1999). Reconhece a cidadania das crianças e adolescentes e define competências do poder público, da família e da comunidade na garantia dos direitos sociais deste público.

Estudo de Avaliabilidade: Método para determinar se um programa é avaliável para se comunicar com os interessados e para planejar a avaliação. Envolve a determinação de que o programa a ser avaliado tem objetivos bem definidos, que são plausíveis de serem alcançados com base nas atividades
correntes deste programa, e a existência de necessidades de informação claramente definidas, bem como usos especificados para avaliação. (Worthen, B.; Sanders, J.; Fitzpatrick, J. 2004)

Estudo de Caso: Atividade técnica utilizada durante o processo de acompanhamento, para elaboração de diagnóstico sobre determinado indivíduo, família e grupo, visando à realização de intervenções. Inclui coleta de dados sobre a história pessoal e social, sistematização das informações e produção de conhecimento.

Estudo de Custos: Análise que permite deduzir o custo do atendimento de acordo com cada modalidade. Este estudo possibilita contribuir para a discussão da tabela de referência de custo para a assistência social, conhecer o custo médio de atendimento, e melhorar a política de conveniamento do
município. (BELO HORIZONTE. Relatório, 1996)

Ética: Conjunto sistemático de conhecimentos racionais e objetivos a respeito do comportamento moral dos homens. A ética é a parte da filosofia que se ocupa com o valor do comportamento humano, isto é, ocupa-se com a reflexão sobre os valores da vida, a virtude e o vício, o direito e o dever,
o bem e o mal. A ética, também chamada moral (palavra que deriva da latina mores, costumes), define-se etimologicamente como a ciência dos costumes, tendo por objeto propor o modo como os indivíduos devem viver. (MEIRELES e PAIXÃO, 2003) (Ver MORAL)

Exclusão Social: Processo heterogêneo, multidimensional, espacial e temporal que impossibilita parte da população a partilhar bens e recursos produzidos pela sociedade. Conduz à privação, ao abandono e à expulsão dos espaços sociais. O conceito de exclusão engloba não apenas a pobreza ou
insuficiência de renda, mas vai além, “à medida que se define também pela impossibilidade ou dificuldade intensa de ter acesso tanto aos mecanismos culturais de desenvolvimento pessoal e inserção social, como aos sistemas preestabelecidos de proteção e solidariedade coletiva” (GOMÀ, 2004:19).

Dicionário de Termos técnicos da Assistencia Social – D

2 Comentários

 

 

Decreto: Ato emanado do poder público, com força obrigatória, que se destina a assegurar ou promover a boa ordem política, social ou administrativa. Por meio de decretos é que o chefe de governo determina a observância de regras legais, cuja execução é da competência do Poder Executivo. Decretos regulamentares são os que expressam regras jurídicas gerais e abstratas especiais, de caráter impessoal. Quando expressam regras jurídicas especiais e concretas, de caráter pessoal, são chamadas simplesmente de Decretos (BELO HORIZONTE. Manual, 2003).
Defesa Social Institucional: Os serviços de proteção social básica e especial devem garantir aos cidadãos o acesso ao conhecimento dos direitos socioassistenciais e sua defesa através de ouvidorias, centros de referência, centros de apoio sócio-jurídico, conselhos de direitos, entre outros (BRASIL. NOB, 2005).
Deficiência Toda perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica que gere
incapacidade para o desempenho de atividade, dentro do padrão considerado normal para o ser humano. È  considerada pessoa portadora de deficiência aquela que se enquadra nas seguintes categorias: deficiência física, deficiência auditiva, deficiência visual, deficiência mental e deficiência múltipla. (BRASIL, 1999) (Ver DEFICIÊNCIA PERMANENTE e INCAPACIDADE).
Deficiência Permanente: Aquela que ocorreu ou se estabilizou durante um período de tempo suficiente para não permitir recuperação ou ter probabilidade de que se altere, apesar de novos tratamentos. (BRASIL, 1999)
Demanda: Manifestação de necessidades, apresentadas explicitamente pelo usuário ou identificadas pelo técnico, que exigem intervenções de natureza socioassistencial.
Descentralização: Descentralizar significa dotar de competências e recursos organismos intermediários para que possam desenvolver suas administrações com mais eficiência de uma maneira mais próxima dos cidadãos e dos grupos sociais. (JACOBI, 1983) Um dos corolários da democratização no Brasil, o tema da descentralização, surge na década de 90, tendo sua expressão maior nos princípios da Constituição Federal de 1988, como um dos pressupostos das diversas mudanças que ocorreram na gestão do setor social nos últimos 20 anos. “A associação entre descentralização e democratização assumiu um significado especial na América Latina, ganhando relevância na crítica aos governos autoritários e, particularmente, à gestão de políticas sociais”. A descentralização surge, numa perspectiva progressista, como uma possibilidade de democratização do poder. Entretanto, vem adquirindo sentidos diversos. Há, porém, um consenso geral quanto ao significado da descentralização enquanto transferência de poder central para outras instâncias de poder e o reordenamento do aparato estatal. (JUNQUEIRA, INOJOSA & KOMATSU, 1988, p.68)
Desempenho: “Refere-se ao resultado obtido numa dada atividade, ao grau de sucesso conseguido, sendo, portanto,passível de avaliação e comparação a partir da utilização de referências ou índices específicos. A avaliação do desempenho de tarefas é feita através de diversas técnicas de intervenção, as quais permitem conhecer o significado, as ambigüidades e os conflitos vividos por diferentes pessoas ao executar uma dada tarefa”. (FIDALGO, 2000)
Desemprego: Situação vivida pela População Economicamente Ativa (PEA), onde há um afastamento involuntário, em caráter temporário, do mercado de trabalho. Esta situação dificulta a reinserção social do trabalhador, podendo provocar marginalização, insegurança, indignidade e a sensação de inutilidade para o mundo social.
Desenvolvimento Humano: O estudo do desenvolvimento humano tem sido realizado pela ONU/PNUD, por meio do Indicador de Desenvolvimento Humano (IDH). Com base em suas reflexões, entende-se que o desenvolvimento humano é a possibilidade de todos os cidadãos de uma sociedade melhor desenvolverem seu potencial com menor grau possível de privação e de sofrimento; é a possibilidade da sociedade poder usufruir coletivamente do mais alto grau de capacidade humana.

 

Desenvolvimento Sustentável: Desenvolvimento sustentável é aquele que “satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades” (BRUNDTLAND, 1998).
É o desenvolvimento econômico, social, científico e cultural das sociedades, garantindo mais saúde, conforto e conhecimento,sem exaurir os recursos naturais do planeta. Para isso, todas as formas de relação do homem com a natureza devem ocorrer com o menor dano possível ao ambiente. As políticas, os sistemas de produção,  transformação, comércio e serviço – agricultura, indústria, turismo, serviços básicos, mineração etc. – e o consumo têm de existir preservando a biodiversidade e as próprias pessoas, enfim protegendo a vida no planeta.
Desligamento: É a conclusão do acompanhamento/atendimento ao usuário de acordo com critérios técnicos de cada serviço. Despacho É a emissão de decisão, pela autoridade administrativa, dando andamento ou solução a um pedido. É ato deliberativo administrativo que consubstancia decisão emanada do agente público. Manifesta vontade deliberativa da administração, por intermédio de seu agente, sobre assunto sujeito à apreciação deste. A decisão proferida pode ser favorável ou desfavorável à pretensão ou às proposições formuladas. (BELO HORIZONTE.
Manual, 2003)
Diagnóstico Social: Instrumento dinâmico que permite uma compreensão da realidade social, incluindo a identificação das necessidades e a detecção dos problemas prioritários e respectivas causalidades, bem como dos recursos e potencialidades locais, que constituem reais oportunidades de desenvolvimento. (DIAGNÓSTICO, s.d.).
Direitos Socioassistenciais: São direitos a ser assegurados na operacionalização do SUAS a seus usuários: direito ao atendimento digno, direito a acessar a rede de serviços comreduzida espera, direito à informação, direito ao protagonismo e manifestação de seus interesses, direito à oferta qualificada de serviços e direito à convivência familiar e comunitária. (BRASIL. NOB, 2005)
Diretriz / Diretrizes: Normas gerais de caráter permanente, que orientam a tomada de decisão nos diversos escalões da organização, determinando prioridades e concentração de esforços para empreendimentos de maior importância. Uma diretriz é composta por uma meta e as medidas prioritárias e suficientes para atingi-la, princípios de exercício profissional da avaliação de programas com os quais a maioria concorda. (JOINT COMMITTEE, 1994)

 

BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal.  Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social. Dicionário de termos técnicos da assistência social. Belo Horizonte: ASCOM, 2007. 132 p.

2.3.2 – O conservadorismo da Igreja Católica e a teoria social positivista

6 Comentários

No ínicio dos anos 40, o Serviço Social e seu pensamento de fonte da doutrina social da Igreja e seus ideiais Franco-belgas, avançam para um desenvolvimento tecnico ao entrar em contato com o Serviço Social norte-americano – permeado pelo caráter conservador da teoria social positivista.

Esta busca pelo Serviço Social norteamericano e a teoria positivista advém da necessidade de cumprir com as demandas crescentes, de trabalhadores empobrecidos, por bens e serviços. Estes trabalhadores desempregados, fruto do processo de desenvolvimento e acumulação do capital, começam exigir e pressionar o Estado por ações assistenciais. Assim, criam-se instituições assistenciais estatais para intervenção do Estado no processo de reprodução das relações sociais, regulando assim tanto a viabilização do processo de acumulação quanto o atendimento das necessidades sociais das classes subalternas.

Assim, podemos dizer que o primeiro suporte teórico-metodológico do serviço social foi a matriz positivista. Segundo Yasbek,

Este horizonte análitico aborda as relações sociais dos indivíduos no plano de suas vivências imediatas, como fatos, como dados, que se apresentam em sua objetividade e imediaticidade. O método positivista trabalha com as relações aparentes dos fatos, evolui dentro do já contido e busca a regularidade, as abstrações e as relações invariáveis.

A visão de teoria era restrito ao âmbito da experimentação e da fragmentação (a fragmentação, inclusive, tornou-se característica histórica das políticas sociais brasileiras, concebidas setorialmente como se o social fosse a simples somatória de setores da vida, tornando alções de caráter pontual e localizado). Não aponta para mudanças, senão dentro da ordem estabelecida – buscando antes ajustes e conservação.

É pois, a partir desses referênciais que o Estado, gradativamente, impulsiona a profissionalização do assistente social e ampliando seu campo de trabalho em função das novas formas de enfrentamento da questão social

Older Entries