Campanhas: Conjunto de atividades destinadas ao envolvimento e sensibilização da sociedade, bem como mobilização de recursos em torno de um objetivo específico, com foco definido e período de execução prédeterminado.

Centros de Referência de Assistência Social – CRAS: Unidades públicas, estatais e de base territorial, localizados em áreas de vulnerabilidade social. Executam serviços de proteção básica, organizam e coordenam a rede de serviços socioassistenciais locais da política de assistência social. Atua com famílias e indivíduos em seu contexto comunitário, visando a orientação e o convívio sócio-familiar e comunitário. (BRASIL. PNAS, 2004)

Cidadania: Definida como o pleno pertencimento dos indivíduos a uma comunidade política por meio de um status, isto é, situação social que garante aos indivíduos direitos e deveres, liberdades e restrições, poderes e responsabilidades. Marshal, citado por LIMA, (2002), desenvolve uma cronologia da conquista dos direitos,  identificando no século XVIII a conquista dos direitos civis — direitos de primeira geração — dos direitos políticos no século XIX e dos direitos sociais no século XX. Os direitos sociais — direitos de segunda geração — foram conquistados no século XX e referem-se ao direito mínimo de bem-estar econômico e de segurança, de participar da herança social e de levar a vida de um ser civilizado. Incluem os direitos econômicos ou de crédito, os direitos ao trabalho, à saúde,à educação, à aposentadoria, ao lazer, ou seja, o bem-estar social. O foco de abordagem de Marshal (1967) é, portanto, a
cidadania como status fundado no reconhecimento de direitos e deveres. (LIMA, 2002)

Circular: É toda comunicação reproduzida em vias, cópias, ou exemplares de igual teor, expedidas a diferentes pessoas, órgãos ou entidades. Especificamente, como documento, é mensagem endereçada simultaneamente a diversos destinatários, para transmitir avisos, ordens ou instruções. É, portanto, uma correspondência multidirecional. Circular é a forma pela qual as autoridades transmitem determinações uniformes a toda uma classe de servidores a elas subordinados (BELO HORIZONTE.M, 2003).

Coeficiente de Gini: É uma medida de desigualdade idealizada pelo estatístico italiano Corrado Gini. Normalmente, é usada para medir a desigualdade de participação na renda. Porém pode ser usado para medir qualquer forma de distribuição desigual. O índice de Gini, ou coeficiente de Gini, é o coeficiente expresso por porcentagens. É um parâmetro internacionalmente usado para medir a concentração de renda. O coeficiente de Gini varia de zero a 1,00. Zero significaria, hipoteticamente, que todos os indivíduos teriam a mesma renda, e 1,00 mostraria que apenas um indivíduo teria toda a renda de uma sociedade. De acordo com o informe das Nações Unidas (Informe de Desarrollo
Humano de Naciones Unidas 2004) o coeficiente de Gini do Brasil encontra-se em 59,1 (MEDINA, 2001).

Coegemas: Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social. Órgão colegiado com função propositiva e de pactuação, de abrangência estadual, com representação dos gestores municipais e do gestor estadual.

Cogemas: Colegiado de Gestores Municipais da Assistência Social. Órgão colegiado com função propositiva e de pactuação, de abrangência estadual, com representação dos gestores municipais.

Comando Único da Assistência Social: Forma de organização referente à administração e gestão da Assistência Social que determina ao gestor a coordenação geral do sistema de Assistência Social em cada nível de governo.(BELO HORIZONTE. D., 2001)

Comissão Intergestores Bipartite – CIB: Instância de articulação, negociação e pactuação entre os gestores municipais e o estadual no que diz respeito à operacionalização do sistema descentralizado e participativo da Assistência Social. (BRASIL. NOB, 2005: p.42)

Comissão Intergestores Tripartite – CIT: Instância de articulação, negociação e pactuação entre os gestores municipais, estaduais e federal, no que diz respeito à operacionalização do sistema descentralizado e participativo da Assistência Social. (BRASIL. NOB, 2005, p. 44)

Comissões Locais de Assistência Social – CLAS: Compõem a estrutura do Conselho Municipal de Assistência Social de Belo Horizonte – CMAS-BH – e são organizados geograficamente de acordo com as micro-regiões das regiões administrativas. São instâncias de caráter consultivo, que têm como função articular os usuários e os prestadores de serviços, trabalhadores e lideranças comunitárias, visando identificar demandas e conhecer a oferta de serviços em cada micro-região. Subsidiam o trabalho do CRAS e do CMAS. (BELO HORIZONTE. D., 2001)

Comunidade: “É um termo com numerosos significados, tanto sociológicos como não sociológicos. A comunidade pode ser um grupo de indivíduos que têm algo em comum, sem necessariamente viver em um dado lugar. Pode ser um senso de ligação com outras pessoas, de integração, de identificação, como em “espírito de comunidade” ou “senso de comunidade”. É também um grupo de pessoas que realizam tipos de trabalhos relacionados entre si, como em a “comunidade da saúde” ou a “comunidade acadêmica”, ou ainda [comunidade da Assistência social] (JHONSON, 1997).

Conceito: Representação mental de um conjunto de realidades, em função de suas características comuns essenciais. O conceito é uma categoria que estabelece um caso geral a partir de um conjunto de casos particulares afins, devido a suas características essenciais. (CHRISTIAN & DIONNE, 1999)

Conferências de Assistência Social: As conferências de Assistência Social são instâncias deliberativas com atribuição de avaliar a Política de Assistência Social e propor diretrizes para o aperfeiçoamento do Sistema Único de Assistência Social. É convocada pelos Conselhos de cada esfera de governo, obedecendo a periodicidade estabelecida na LOAS. (BRASIL. NOB, 2005)

Congemas: Colegiado Nacional de Gestores Municipais da Assistência Social. Órgão colegiado com função propositiva e de pactuação, de abrangência nacional, com representação dos gestores municipais, do gestor estadual e do gestor federal.

Conhecimento: Um conhecimento (um saber) é o resultado do ato de conhecer, ato pelo qual o espírito apreende um objeto. Conhecer é ser capaz de formar a idéia de alguma coisa, é ter presente no espírito. Isso pode ir da simples identificação (conhecimento comum) à compreensão exata e completa dos objetos (conhecimento científico). O saber designa um conjunto articulado e organizado de conhecimentos, a partir do qual uma ciência – sistema de relações formais e experimentais – pode se originar. (LE COADIC, 1996)

Conselho Tutelar: Órgão permanente e autônomo, não jurisdicional, composto por 5 (cinco) membros, encarregado pela sociedade de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente, definidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Em Belo Horizonte funcionam 9 (nove) Conselhos Tutelares, um em cada região administrativa da cidade, escolhidos pela população. (BELO HORIZONTE. D., 2001)

Conselhos de Assistência Social: São Instâncias deliberativas do Sistema Descentralizado e Participativo de Assistência Social em cada esfera de governo, de caráter permanente e composição paritária entre governo e sociedade civil. Deliberam sobre a Política de Assistência Social, normatizando, disciplinando,acompanhando, avaliando e fiscalizando os serviços, programas, projetos e benefícios desenvolvidos pela Assistência Social. São eles: Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), Conselho Estadual de Assistência Social (CEAS), Conselho de Assistência Social do Distrito Federal e Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS). (BRASIL. NOB, 2005)

Conselhos Regionais de Assistência Social – CRAS: Compõem a estrutura do Conselho Municipal de Assistência Social de Belo Horizonte – CMAS-BH. São organizados segundo a divisão territorial da administração municipal, nas nove regiões administrativas. Têm caráter consultivo, acompanham e fiscalizam a Política de Assistência Social na regional e subsidiam os trabalhos do CMAS. Os CRAS são compostos por: 02 representantes de cada CLAS (Comissão Local de Assistência Social), sendo 01 efetivo e 01 suplente; 02 representantes do conselho comunitário do Centro
de Apoio Comunitário (se houver); 02 representantes do Conselho Tutelar e 02 representantes da Secretaria Municipal da Coordenação da Gestão Regional. (BELO HORIZONTE. D., 2001)

Contrato de Acompanhamento: Acordo entre os usuários e o serviço, no qual são estabelecidos compromissos e responsabilidades das partes envolvidas no acompanhamento. O contrato de acompanhamento estabelecido entre as partes pode ser verbal ou escrito, em conformidade com a especificidade do serviço.

Controle Social: Efeito da ação dos indivíduos e das comunidades sobre a gestão das instituições públicas ou privadas das quaissão usuários. Conforme a NOB-SUAS/2005, tem sua concepção advinda da Constituição Federal de 1988, enquanto instrumento de efetivação da participação popular no processo de gestão político – administrativa – financeira e técnico-operativa. O controle do Estado é exercido pela sociedade na garantia dos direitos fundamentais e dos princípios democráticos balizados nos preceitos constitucionais. Esta expressão passa a ser utilizada no Sistema Único de Saúde (SUS) e, agora, pelo SUAS, indicando que deve haver um controle do poder público pela sociedade,
especialmente no âmbito local, na definição de metas, objetivos e planos de ação.

Convivência Familiar e Comunitária: Direito fundamental assegurado pela Constituição Federal de 1988 e regulamentado pela Lei Orgânica da Assistência Social, pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e pelo Estatuto do Idoso. “Toda criança ou adolescente tem o direto a ser criado e educado junto a sua família e, excepcionalmente, em família substituta, em ambiente livre da presença de pessoas dependentes de substâncias entorpecentes” (BRASIL, 1999). “É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária” (BRASIL. Lei 10.741, 2005).

Cultura: Conjunto acumulado de símbolos, idéias e produtos materiais associados a um sistema social, seja ele uma sociedade inteira ou uma família. Juntamente com a estrutura social, população, ecologia, constitui um dos principais elementos de todos os sistemas sociais e é conceito fundamental na definição da perspectiva sociológica. (JHONSON, 1997)

Cultura Organizacional: “Cultura organizacional é o conjunto de pressupostos básicos que um grupo inventou, descobriu ou desenvolveu ao aprender como lidar com os problemas de adaptação externa e integração interna e que funcionaram bem o suficiente para serem considerados válidos e ensinados a novos membros como a forma correta de perceber, pensar e sentir, em relação a esses problemas”. (MINTZBERG, 2000) Toda organização tem um conjunto de comportamentos, saberes e saber-fazer característicos de um grupo humano – entendidos por alguns autores, como cultura organizacional; desta forma, os comportamentos pertinentes a uma determinada organização são adquiridos por meio de um processo de aprendizagem e transmitidos ao conjunto de seus membros. (FLEURY et al., 1996, p.2)

BELO HORIZONTE. Prefeitura Municipal.  Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social. Dicionário de termos técnicos da assistência social. Belo Horizonte: ASCOM, 2007. 132 p.

Anúncios