Página Inicial

Funcionários da Foxconn estão sendo substituídos por robôs

Deixe um comentário

A histórica batalha entre Capital e Trabalho avança novamente. A exploração da mão de obra na China está crescendo a níveis assustadores – vide o aumento de casos de suicidios de trabalhadores dessas multinacionais. O interessante é a Foxconn justificar a substituição da mão-de-obra humana pela robótica como “uma forma de cuidar de seus trabalhadores”.

 

Segue a matéria abaixo.

 

Funcionários da Foxconn estão sendo substituídos por robôs

 

A Foxconn, fabricante chinesa de produtos para gigantes como HP, Sony e Apple – e lar de funcionários exauridos – se comprometeu a substituir funcionários por um milhão de robôs. Em vez de chineses fazendo iPads, robôs fazendo iPads. Peraí, teremos mais robôs na Foxconn do Brasil também?

A imagem da Foxconn já sofreu bastante nos últimos anos, com explosões em fábricas, suicídios constantes e constante atenção da mídia. Então parece natural que eles queiram divulgar uma notícia boa, uma novidade para proteger seus funcionários. Assim, Terry Gou disse na sexta-feira que a empresa quer aumentar aos poucos a presença robótica nas fábricas nos próximos três anos. Hoje, há 10.000 robôs fazendo tarefas simples e repetitivas. Ano que vem, o número deve crescer para 300.000, e deve chegar a um milhão em 2014.

Mas qual o real motivo para a Foxconn usar robôs? Segundo dois analistas consultados pela Reuters, o motivo é um só: os salários dos funcionários na China estão aumentando demais. Substituindo-os por robôs, a empresa consegue segurar os custos. Mas se isso é verdade, por que a Foxconn quer expandir suas operações no Brasil, onde os funcionários custam mais caro?

A Foxconn não mencionou o Brasil quando divulgou a decisão da empresa de aumentar a automação usando mais robôs. A empresa disse, no entanto, que quer “levar os funcionários de tarefas mais rotineiras para posições com maior valor agregado na fabricação, como pesquisa e desenvolvimento, inovação e outras áreas”. Ou seja, eles querem mais funcionários qualificados – e, como sempre, quem não tiver qualificação e experiência deve pagar o preço da automação.

A Foxconn emprega hoje 1,2 milhão de funcionários, dos quais cerca de 1 milhão estão na China. [Xinhua News via AllThingsD; Reuters]

 

Fonte: http://www.gizmodo.com.br/conteudo/funcionarios-da-foxconn-estao-sendo-substituidos-por-robos/

2.3 – O processo de institucionalização do Serviço Social brasileiro

1 comentário

Como dissemos nos ultimos artigos, o significado social da profissão deve ser analizado em contexto com o processo de produção e reprodução das relações sociais. Desta forma, também, a institucionalização do Serviço Social como profissão se explica no contexto contraditório de um conjunto de processos sociais em choque nas relações entre as classes sociais antagônicas na consolidação do sistema econômico capitalista. Segundo Iazbek,

A institucionalização da profissão de uma forma geral, nos países industrializados, está associada à progressiva intervenção do Estado nos processos de regulação social.

Este processo tem inicio na década de 30, quando o governo Vargas, através de um conjunto de iniciativas (consolidação das leis do trabalho, salário mínimo, etc.), reconhece a questão social como âmbito das relações Capital x Trabalho, e busca enquadrá-la juridicamente – regulando as tensões entre as classes sociais. A questão social, então, foi transformada em problema de administração pública, sendo o Estado responsável pela criação e desenvolvimento de políticas e agências para a regulação da questão social nos mais diversos setores da vida nacional.

VERBETE:

Segundo Iamamoto, a Questão Social pode ser definida como: O conjunto das expressões das desigualdades da sociedade capitalista madura, que têm uma raiz comum: a produção social é cada vez mais colectiva, o trabalho torna-se mais amplamente social, enquanto a apropriação dos seus frutos se mantém privada, monopolizada por uma parte da sociedade.

Essa estruturação do perfil de profissão emergente, teve a igreja católica como principal fio condutor responsável pelo ideário e formação dos primeiros profissionais.

2.2.1 – Reprodução Social e Serviço Social

13 Comentários

O conceito de “Reprodução Social” é  fundamental para a compreensão da profissão na sociedade capitalista.

Reprodução Social refere-se ao modo de como são produzidas e reproduzidas as relações sociais na sociedade.

A “reprodução das relações sociais” é entendida como a reprodução da totalidade da vida social – não apenas a reprodução da vida material e do modo de produção, mas também a vida espiritual e das formas de consciência social através das quais o homem se posiciona na vida social.

A reprodução das relações sociais é a reprodução de determinados modos de vida, cotidianos, valores e práticas culturais e políticas, e da forma como se produzem as ideias nessa sociedade.

Mais

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 86 outros seguidores